A Hierarquia

       O regime interno de um mosteiro beneditino é muito simples. Pode-se resumi-lo na organização de uma vida em comunidade sob uma Regra e um Abade. A pessoa do Abade faz às vezes do pai espiritual e do superior na comunidade. São Bento lhe reserva dois capítulos da Regra. O Abade deve saber do difícil encargo que recebeu: servir aos temperamentos de muitos, moderar entre o pio afeto de um pai e o rigor de um mestre e, sobretudo, procurar antes ser amado do que temido.

      O Abade atual do Mosteiro de São Bento de São Paulo é o Exmo. e Revmo. Dom Mathias Tolentino Braga OSB, abençoado no cargo em 14 de maio de 2006. O cargo de Abade é vitalício, à semelhança do bispo diocesano: após os 75 anos, ele pode resignar e é eleito outro Abade por voto direto dos integrantes da comunidade. A Igreja lhe confere ainda a dignidade prelatícia.

       Duas outras funções importantes na comunidade são a do Revdo. Prior, Dom Camilo de Jesus Dantas OSB e a do Revdo. Subprior, Dom Mauro Moreira OSB. Os demais monges seguem a ordem monástica segundo a data de ingresso no mosteiro. Em todos os casos, São Bento prescreve a obediência aos superiores e recomenda a obediência mútua, de tal modo que os mais novos respeitem os mais velhos e os mais velhos amem os mais novos. Segundo o espírito da vida beneditina, os monges devem se rivalizar na solicitude mútua, nada fazendo do que julgam melhor para si, mas para outro. Nesse espírito, os monges cumprem em todas as circunstâncias a máxima “para que em tudo seja Deus glorificado”.