O Espírito da Comunidade Monástica

       

         Pertencente à longa tradição beneditina, a Comunidade do Mosteiro de São Bento de São Paulo segue a Regra de São Bento como mestra de vida monástica. Conforme entendiam os monges na Idade Média, interpretando o espírito da Regra, o lema de São Bento pode ser resumido pelo “ora et labora” – ora e trabalha. Acrescenta-se a esse lema “et legere”, ou seja, “e leia”, uma vez que, para São Bento, a leitura tem um espaço privilegiado na vida do monge, em especial a leitura das Sagradas Escrituras. Em vista disso, o ritmo da vida no mosteiro favorece o justo equilíbrio, temperando os momentos de trabalho (corpo), com a leitura (alma) e a oração (espírito).

        Essa máxima da vida beneditina vem ao encontro daquela aspiração primeira e fundamental da vida monástica: uma vida de total entrega a Deus. Renunciando tudo quanto o separa de Deus, o monge procura alcançar a meta da vida contemplativa. A purificação do coração, nesse sentido, é a melhor expressão dessa busca, pois, como nos diz Jesus no Sermão da Montanha: “Felizes os puros de coração, porque verão a Deus” (Mt 5,8).

         Com a assistência do Espírito de Deus, os monges dessa casa procuram viver o ideal de vida há muito preconizado na Igreja, como um verdadeiro dom de Deus. Jesus Cristo – crucificado, morto e ressuscitado para nossa salvação e manifestação perfeita do amor de Deus – é o maior ideal dos monges, O qual eles devem sempre ter diante dos olhos, dia e noite. A obediência, a humildade e o espírito de abnegação de Cristo inspiram sua conduta, e o amor de que nutrem por Ele os orienta a assumi-Lo como seu único Senhor, cuja comunhão de vida lhes garante as maiores recompensas espirituais.